quarta-feira, 27 de julho de 2011

A crás do corvo

O que confunde uma bela voz e o grito do corvo é a separação para a morte e não para a vida. Por que Deus designa a alguns talentos tais que outros não têm? Não acredito que seja para mergulhar em bel prazer ludibrioso, caminhos dos quais só levam ao figurativo do corvo, que é à sombra da morte que o persegue pela vida – se é que é vida.
Talentos nunca podem ser jogados fora, só é assim devido a sua aplicação. Se para vida, da qual Deus pode tomar conta, haja sucesso; se para morte, de certa forma já há suspeita de que, aquele talento que poderia honrar o Deus como fonte de riquezas, há em sua periferia a manipulação de destruição.
Não dá para cantar para si mesmo, encher-se o peito e depois murchar. Nem para se esvaziar de si, pois só o que esvaziou fala do que ainda há dentro de si. Cantar é extravasar, lançar para fora do jarro água doce ou água salgada. Para quem canta, sabe. Soltar o agudo ou grave de alguma forma é tentar pedir ajuda para alguém.
Quem sabe, e o é, Davi era assim. Salmodiou da sua alma Àquele a quem podia confiar o seu ser, Deus, que por muitas vezes o cercou de sua presença tão poderosa levando-o a escrever; passou aos músicos e cantores, Asafe, Jedutum, o percussionista, e todos cantavam profeticamente aquela canção. Desabafo, gratidão, dor, companhia, alegria, unidade, amor, compaixão. Estes são alguns dos salmos de Davi.
Se toda voz soubesse dos segredos dos céus de que um cântico de uma voz não é apenas de um cantor, mas sim de um adorador, jamais teríamos tantos artistas perdidos, drogados, amargurados de amor, e tantos outros fatos que só um dolorido pode contar. Talvez por esse motivo Deus ainda procure adoradores que o adorem em espírito e em verdade, e quando Ele o encontrar, jamais dele se apartará. Caso não o encontre, serão todos cantores como os outros, dos botequins às casas, dos palcos aos choros.
Ludibrioso canto do corvo, que na América antiga representa a morte, e com o tal se confunde, lançando fora quem era o mais importante.


Vandressa Holanda Gefali
Direto desta geração.

Nenhum comentário: